Como fica a vagina de uma mulher trans operada

É bem comum haver uma certa curiosidade sobre a vagina de uma mulher trans, afinal, não é algo que vemos todos os dias!

Sabendo disso, nossa equipe decidiu reunir as principais dúvidas relacionadas ao tema e saná-las, sem termos técnicos ou enrolação, apenas o necessário para que possamos entender como fica a vagina de uma transexual.

Vem com a gente!

Esteticamente falando, a vagina de uma transexual é igual a de uma mulher?

Sim, em cada detalhe: profundidade da cavidade, lábios vaginais e até mesmo o clitóris serão perfeitamente construídos.

Inclusive, em seu vídeo sobre o procedimento, a YouTube Mandy Candy afirmou que ao mostrar para seus familiares e amigos a sua nova vagina, os mesmos afirmaram não haver qualquer diferença!

O procedimento: inversão peniana modificada

A técnica utilizada para transformar o pênis e o saco escrotal em uma vagina funciona do seguinte modo:

  1. Os testículos e grande parte do pênis são removidos, preservando a pele escrotal e o tecido nervoso.
  2. O tecido nervoso, que inclui a glande, é utilizado para construir o clitóris.
  3. É feita uma incisão entre o reto e a bexiga, se tornando a cavidade vaginal.
  4. No local da incisão é acomodada a pele do pênis e do escroto, formando inclusive os lábios.
W7nXyxfp54xdnyWz X8k190fS4DffnBwPuXDxHhhP4b1lsYSFVJP2enSEYQS9P6e0bxGUNinE21ftp Skl8OyaqKH7PuKFJIRrdNyje1qoJgWUfSkuNqva7LSDI6QlIiVl4vH2Ll 1

Ilustração dos processos da cirurgia.

Mas e com relação a funcionalidade?

A vagina funcionará normalmente, necessitando apenas da lubrificação adequada. Sendo assim, não há segredos: basta investir em um bom gel ou óleo e aproveitar!

Inclusive, vale a curiosidade: de acordo com José Cesário da Silva Almada Lima, professor e coordenador de cirurgia plástica do Hospital Universitário Ciências Médicas, que já fez mais de 50 operações de redesignação, o resultado da cirurgia que transforma o pênis em neovagina é mais satisfatório do que o inverso.

A sensação de prazer permanece intacta

O prazer sentido anteriormente através do pênis não sofre qualquer alteração. Isso se deve ao fato de que a cirurgia de redesignação sexual utiliza toda área peniana, incluindo o tecido nervoso e os vasos da glande, que ajudarão a construir um clitóris sensível.

Até mesmo a transexual Ariadna Arantes, em sua participação no BBB11, garantiu que a cirurgia não comprometeu seu prazer durante o sexo, e que inclusive consegue atingir o orgasmo normalmente. (via Vila Mulher)

Conclusão

Basicamente não dá para perceber que é uma vagina construída pela cirurgia plástica, tanto em termos de aparência como também na utilização em si. O único possível diferencial, citado por alguns homens, é uma maior contração, que acaba proporcionando ainda mais prazer.

Caso você se interesse em saber um pouco mais sobre outras cirurgias para trans, recomendamos uma lida em nosso artigo: Os principais procedimentos e operações para mulheres trans. Lá, explicamos detalhadamente o funcionamento de cada um deles!

E então… dúvidas sanadas? Caso ainda reste alguma questão, basta deixar logo abaixo o seu comentário, assim podemos continuar o papo!

Relacionados:

Qual a diferença entre transexual, travesti, queer e outros termos LGBT+
As 10 transexuais mais famosas do Brasil
Como fica a vagina de uma mulher trans operada
As 10 travestis e transexuais mais gostosas do Brasil

Compartilhe esse post:

JP
JP
Nascido em meados da década de 90, escreve para sites e blogs desde 2009, abordando temáticas variadas da forma mais autêntica possível. Amante de música eletrônica, vida noturna e, o elemento não pertencente ao conjunto, cultura nerd.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *